fbpx
Tipos de negócio que podem se tornar fintech
23 janeiro 2020 Notícias

4 tipos de negócios que podem se tornar fintechs

De acordo com o FINNOVATION, o número de fintechs operando no país em 2019 foi de 504, em mais de dez tipos de negócio, registrando assim um aumento de 34% se comparado ao ano de 2018.

Esse mesmo estudo apontou que 26% desse total vem das startups de meios de pagamentos, seguidas pelas da área de crédito, que possui 17% das fintechs, ou seja, empresas de tecnologia vêm cada vez mais enxergando possibilidades em um nicho dominado pelos bancos tradicionais.

Sendo assim, tornar-se fintech e oferecer serviços de banco na sua empresa já não é mais um plano, mas sim uma realidade.

Mas a dúvida que muitos empreendedores ainda possuem é: qual tipo de negócio pode se tornar uma fintech?

Então, para auxiliar o seu negócio a gerar novas receitas e oferecer serviços de banco, listamos 4 tipos de negócios e quais características eles devem possuir para se tornarem fintechs.

Vamos lá!

O que é uma fintech e como ela funciona?

Fintech é uma empresa que oferece serviços financeiros de forma inovadora através da tecnologia. Ela geralmente traz mais agilidade aos processos financeiros e funciona como uma intermediadora de pagamentos entre seus parceiros e clientes.

São as fintechs que hoje encabeçam a revolução no mercado de pagamentos, sendo consideradas uma tendência global que contribui para a diminuição da burocracia e a dependência por bancos tradicionais. 

Por esse motivo, vale à pena considerar se a sua empresa possui a capacidade de se tornar uma fintech e aumentar ainda mais a possibilidade de gerar novas receitas.

4 tipos de negócios que podem se tornar fintechs

Entre as fintechs mais conhecidas estão, por exemplo, Nubank e PicPay, que têm ganhado cada vez mais espaço no mercado de inovação em pagamentos. 

Porém, o estudo do FINNOVATION constata ainda que muitas dessas fintechs continuam ‘presas’ a modelos tradicionais, muito ligados a bancos comuns.

Por isso, vamos conhecer quatro tipos de negócio que possuem capacidade para se tornar fintechs e contribuir para a mudança desse cenário!

1. ERPs

Empresas de ERPs (Enterprise Resource Planning, que basicamente são softwares empresariais) têm se destacado como negócios inovadores em gestão empresarial. 

Além disso, essas ferramentas também são capazes de inovar quando integram meios de pagamentos aos seus modelos de negócio, fazendo com que se mantenham ainda mais competitivas e gerando novas receitas.

Por este motivo, podemos dizer que a transformação de ERPs em fintechs é uma tendência cada vez mais natural, visto que esse modelo de negócio está sempre buscando integrar várias soluções em um único sistema, logo, por que não faria o mesmo com as soluções de pagamento?

2. Marketplaces

Com um crescimento de 13% no primeiro semestre de 2019 e faturamento de R$ 17,6 bilhões, segundo a Ebit/Nielsen, os marketplaces aumentaram bastante sua relevância no Brasil. 

Conhecidos como ‘shoppings virtuais’ que reúnem vários lojistas em um mesmo ambiente, alguns deles já vêm transformando seu modelo de negócio em fintech e integrando com uma plataforma white label completa.

O que torna o marketplace uma fintech é a sua capacidade de utilização dessa plataforma para gerar novas receitas, o que engloba desde cadastros de consumidores até a oferta de serviços de banco, como por exemplo, a criação de Conta de Pagamento para seus fornecedores e até mesmo transferências.

Por todos esses benefícios, vemos cada vez mais marketplaces tornado-se fintechs e fazendo muito dinheiro através disso.

3. E-commerces

Com crescimento de 12% e faturamento de R$26,4 bilhões em 2019, as empresas de e-commerce são outro tipo de negócio que vem se destacando ao adotar o modelo de fintech.

Isso porque, também segundo dados da Ebit/Nielsen, possuem maior número de pedidos se comparadas aos marketplaces, além de terem um maior grau de evolução no mercado.

Além da maturidade, os e-commerces utilizam como principais meios de pagamento o cartão de crédito e o boleto bancário, e como sabemos, ter diversas opções de meios de pagamento dentro da sua própria plataforma, torna o seu e-commerce ainda mais completo e possibilita que ele se diferencie no seu segmento, aumentando ainda mais o seu ticket médio.

4. Aplicativos

Diversas empresas que começaram como aplicativos, hoje já vêm se tornando bancos digitais. Esses apps caíram no gosto popular por oferecer diversos serviços, como abertura de contas, pagamentos de faturas, além da possibilidade de criação de contas de pagamento.

Os bancos tradicionais, por sua vez, têm cada vez mais perdido espaço para essas novas soluções, o que ajuda ainda mais a popularizar os serviços de pagamentos oferecidos por aplicativos.

Com a plataforma de pagamentos white label da Pagcerto, que é 100% digital e não trabalha com maquininhas, você utiliza tecnologia de pagamentos com a sua própria marca e elimina custos com tempo, burocracia e desenvolvimento.