fbpx
28 novembro 2019 Empreendedorismo

4 marcas que foram além do seu potencial financeiro

Toda empresa nasce com potencial para mudar o seu mercado, mas nem todas conseguem enxergá-lo. Algumas delas, no entanto, foram além do seu potencial financeiro e hoje são reconhecidas por isso.

E é justamente nesse ponto que se esconde o segredo para sua empresa gerar novas receitas. CEOs que enxergam além do seu negócio, podem gerar, inclusive, receitas a partir de receitas já existentes.

É muito comum pensar no conceito de ‘ir além’ dentro do empreendedorismo, porém essa não é uma tarefa simples.

No entanto, já existem marcas que nos mostram que é possível fazer isso sem seguir uma fórmula pronta, mas sim adotando ferramentas inovadoras e que aumentem as possibilidades de crescimento financeiro do seu negócio.

Starbucks

Quem não conhece a maior rede de cafeterias do mundo? A Starbucks possui hoje a maior carteira digital dos EUA, superando inclusive grandes marcas de tecnologia, como Google e Apple.

E como ela fez isso?

A multinacional simplesmente eliminou os intermediários e criou sua
própria solução de pagamento, fazendo com que seus clientes possam comprar através da sua plataforma, através de uma carteira digital, algo bem semelhante a uma Conta de Pagamento.

Com isso, os pagamentos giram em torno da própria plataforma da Starbucks e o potencial financeiro da empresa aumenta vertiginosamente, o que explica o porquê de seu app de pagamentos ter se tornado o mais popular do mundo

Netflix

A Netflix, uma das plataformas de streaming mais famosas do mundo, apesar de ter sido criada como uma locadora de vídeos online, teve seu modelo de negócio alterado para não bater de frente com grandes marcas como Walmart, que na época possuía muita força de venda em mídias físicas. 

Percebendo que as pessoas compravam muito mais do que alugavam, a Netflix se tornou um streaming de filmes que utiliza o modelo de pagamento recorrente, e ao invés de adotar o modelo convencional de pagamento físico, fez com que vários filmes fossem ‘alugados’ por meio de uma assinatura mensal.

Além disso, muitos consumidores da empresa já podem utilizar até mesmo créditos de suas carteiras digitais para adquirir o serviço, ou seja, um novo passo para explorar ainda mais o potencial financeiro de uma marca que já ultrapassa 137 milhões de assinantes em todo o mundo.

Amazon

A mais valiosa marca do mundo, a varejista Amazon, que começou como uma livraria virtual, se tornou em pouco tempo um e-commerce 24 horas com variadas opções de entrega e um dos maiores catálogos de livros  do mundo.

Com o aprimoramento de seu site como uma gigantesca plataforma de pagamentos, a Amazon passa a comercializar também, CDs, DVDs, jogos e atualmente até maquiagens.

Mas o grande divisor de águas da Amazon foi o Kindle, uma espécie de ‘Netflix dos Livros’, que em pouco tempo de investimento, a fez dominar 59% do comércio eletrônico de livros, posto que ocupa até hoje.

A Amazon é um ótimo exemplo de marca que está sempre ‘indo além’, seja investindo na experiência de pagamento de seus clientes ou apresentando novidades de produtos e serviços em seu extenso catálogo.

Spotify

Enfrentar a prática de downloads ilegais na internet sempre foi um grande desafio das empresas de música.

Em um cenário onde o consumo de música na era da internet parecia fadado ao fracasso, o Spotify, maior serviço de música paga do mundo, foi além e mudou o mercado.

A empresa adotou um modelo semelhante ao da Netflix, disponibilizando a aquisição do serviço através de planos, com opções de pagamentos que vão desde a assinatura mensal até o cartão pré-pago e boleto.

Desta forma, conseguiu satisfazer tanto o público que gosta de consumir músicas de forma legal, até artistas independentes e empresas.

Apesar de ainda receber muitas queixas de empresas de música que afirmam que a receita gerada ainda não é suficiente, a líder de mercado tem buscado formas de potencializar suas opções de pagamento, explorando novos mercados e revendo sua política de preços.

Apesar disso, o Spotify já acumula 108 milhões de clientes pagantes, quase o dobro da Apple Music.

Os exemplos acima nos mostram que para empreender é preciso ir além, sobretudo quando se trata de pagamentos.  Uma boa ideia nem sempre significa uma boa oportunidade de negócio. É preciso investir na experiência do seu cliente e saber escolher as ferramentas corretas para a sua empresa.