fbpx
Pagamentos instantâneos: o que é o PIX, sistema anunciado pelo Banco Central?
28 fevereiro 2020 Notícias

Pagamentos instantâneos: o que é o PIX, sistema anunciado pelo Banco Central?

No dia 19 de fevereiro de 2020, o Banco Central anunciou o PIX, um sistema de pagamentos instantâneos que possibilitará transferências e pagamentos em questão de segundos, 24 horas por dia e 7 dias da semana.

Mas antes de tudo, o que é o PIX? O que são pagamentos instantâneos? Como eles mudam a forma que as pessoas utilizarão o dinheiro? É o que veremos neste post.

O que é o PIX?

Segundo o Banco Central, o PIX é um “serviço inovador que possibilitará que o dinheiro vá de uma conta para outra em poucos segundos, 24 horas por dia, nos sete dias da semana, inclusive entre contas de diferentes instituições.”

Ele estará disponível a partir de novembro, para toda a população brasileira, como uma marca única do Banco Central, visando facilitar pagamentos e otimizar transações.

Tá, mas e como funciona hoje?

Atualmente, os modelos tradicionais são TED, DOC,
boleto, cheques e cartões, que muitas vezes levam dias para serem computadas e possuem um custo elevado, sobretudo quando se trata de dinheiro em espécie.

Com a chegada do PIX, as possibilidades de pagamento se ampliam e ele se torna uma alternativa mais prática e rápida.

O pré-requisito para que tanto pagador quanto recebedor possam utilizar o PIX é possuir uma conta em banco, numa instituição de pagamento (IP) ou fintech. 

Lembrando que não precisa necessariamente ser uma Conta Corrente, as transferências podem ocorrer em Conta de Pagamento, poupança, entre outras.

Agora, vamos entender o que são pagamentos instantâneos e como eles mudarão a forma que as pessoas utilizam o dinheiro.

O que são Pagamentos Instantâneos?

Basicamente, são as transferências monetárias eletrônicas que ocorrem em tempo real, sem a necessidade de intermediários, o que propicia a diminuição de custos.

A grande diferença é a velocidade em que pagamentos ou transferências são feitos entre as contas do pagador e recebedor, que hoje esbarra em restrições como dias e horários comerciais, burocracias, etc. 

Com o PIX, eles serão realizados em qualquer dia e horário.

Por quem podem ser utilizados?

É importante entendermos entre quem os pagamentos instantâneos podem ser utilizados para transferências:

  • pessoas (transações P2P, person to person)
  • pessoas e estabelecimentos comerciais, incluindo comércio eletrônico (transações P2B, person to business)
  • estabelecimentos, como pagamentos de fornecedores, por exemplo (transações B2B, business to business)
  • transferências envolvendo entes governamentais, como pagamentos de taxas e impostos (transações P2G e B2G, person to government e business to government)
  • pagamentos de salários e benefícios sociais (transações G2P, government to person) e de convênios e serviços (transações G2B, government to business).

Quais os benefícios dos pagamentos instantâneos com a chegada do PIX?

O Banco Central listou algumas das vantagens dessa nova forma de realizar pagamentos e transferências com a chegada do PIX, sobretudo do ponto de vista dos usuários que fazem parte da cadeia de pagamentos.

Para pagadores

Nesta categoria, o usuário pode realizar pagamentos de forma mais rápida, segura e barata, assim como acontece com o dinheiro em espécie. 

Para iniciar um pagamento, ele precisará de uma dessas três formas: utilização de chaves ou apelido – até mesmo um contato no celular-, uso de um QR Code ou ainda de tecnologia NFC (por aproximação), que pode ser feita por um dispositivo móvel e dispensa o uso de cartão, maquininhas, etc.

Para recebedores

Aos recebedores, o custo diminui por conta da redução do número de intermediários. A disponibilidade de recursos se otimiza porque passa a ser imediata, e a automatização e conciliação de pagamentos se torna mais fácil.

Além disso, o checkout se tornará ainda mais rápido, pois não haverá a necessidade de POS ou sequer de um caixa para passar o troco.

Para o Ecossistema

Por fim, todos esses benefícios, quando agregados, unem-se ao ecossistema de pagamentos como um todo e trazem mais eletronização dos meios de pagamento, maior competição e incentivo à inovação, mais inclusão financeira e um ambiente cada vez mais seguro.

Com isso, ganham as pessoas, empresas e entidades governamentais.

Os detalhes dessa nova tecnologia ainda vêm se desenhando, mas uma coisa é certa: sua implementação veio para ficar.

Não perca as novidades desse e outros conteúdos aqui no blog e até a próxima!